» » Jedias Hertz - New/Old Dirty Road
Jedias Hertz - New/Old Dirty Road flac album

Jedias Hertz - New/Old Dirty Road flac album

MP3 1114 mb. | FLAC 1667 mb. | WMA 1886 mb.

Performer: Jedias Hertz
Title: New/Old Dirty Road
Released: 2015
Style: Folk Rock
Category: Rock / Blues / Folk, Country
Rating: 4.4 ✦
Other format: DXD MP3 WAV AHX DMF RA MIDI

New/Old Dirty Road ‎(10xFile, MP3, Album, RE). . Exp. (Online Distribuition).

Lil Nas X Old Town Road (Intro Dirty) load more. equilibrium unter der eiche. tracy chapman behind the wall. узеир мехдизаде uzeyir mehdizade. davina feat chef raekwon. equilibrium die weide und der fluß. diana king still in love. now loading fourfolium.

Old Town Road" is a song by American rapper Lil Nas X. It was initially released independently on December 3, 2018, and gained popularity on social video sharing app TikTok. As a result, Lil Nas X was signed to Columbia Records, which now distributes the single.

Judas is the seventh studio album by the American heavy metal band Fozzy. It was released on October 13, 2017 through Century Media Records. The album's title track was released as the lead single from the album on May 5, 2017.

Tracklist

A1 New/Old Dirty Road 05:16
A2 Cocaine Rabbit 04:02
A3 You Broke My Glass Of Sadness 05:35
A4 Sometimes 10:16
B1 Morning Song 04:33
B2 Tombstone Dream 2:25
B3 When I Get Home 1:49
B4 Last Coffee Blues 03:14
B5 Dethroned From My Head 03:56
B6 Silence Dome 05:02

Credits

  • Backing Vocals, Laughs – Beatriz L. Sanchez (tracks: A2, B6)
  • Cello – Lucas Casagrande (tracks: A4)
  • Cover art – Jedias Hertz
  • Producer – Jedias Hertz (tracks: All)
  • Songwriter, Singer, Acoustic Guitar, Bass, Eletric Guitar, Harmonica, Drums, Piano, Organ, Percussion, Kazoo, Recorder, Bacing Vocals, Effects. – Jedias Hertz (tracks: All)

Notes

Released on 2015, New/Old Dirty Road is a Jedias Hertz's return as a lyricist after two years of instrumental albuns. In this work he tries to crystalize his relation with the Panic disorder and other themes as drugs abuse, depression and loneliness.

"Em meus álbuns anteriores, TemPIANOestade e Pseudositar expus uma atmosfera interior que era para mim, indescritível verbalmente, eles foram feitos em uma fase em que apresentava o começo da ainda desconhecida síndrome do pânico que se instalava. Neles deixei de lado as letras, pois as palavras pareciam não me fazer sentido, assim como fui aos poucos me fechando em meu mundo e evitando contatos sociais, as nuvens se fechavam dentro de minha Cúpula Silencio, pouco a pouco, encobrindo tudo o que eu era e tudo o que eu sabia de mim.
O TemPIANOestade com sua atmosfera sombria representa muito bem o que eu sentia, com variações de momentos de medo, de euforia, do meu caos pessoal, e também por vezes a calmaria, eu via a tempestade que chegava e aos poucos encobria o céu deixando-me temeroso e aterrorizado, como um dos mais antigos ancestrais, dotado do dom da profecia, vendo os sinais de um obscuro amanhã nas vísceras dos pássaros. Já o Pseudositar foi feito em um único dia, nele eu quis expor apenas o que estava sentindo naquele momento especifico, guiado pela mística atmosfera de sensações que eram para mim, indescritíveis. Buscando a sonoridade indiana e tudo o que ela representa, numa tentativa de transcender todo o caos que se apossava de mim, pouco a pouco, mas nunca alcançando seu real valor e transmutando a escuridão que havia em mim.
Diferentes do New/Old Dirty Road, onde eu tentei descrever esse universo particular e a própria síndrome do pânico com palavras, hora explicitas hora metafóricas, cristalizando meu eu, meus medos e desprazeres, temores e até libertações.
Tendo uma das letras mais longas que já escrevi, chamada Sometimes, com um belíssimo Cello que intensifica toda esta atmosfera sombria de dor e caos. Morning Song que trata dessa batalha (ou por vezes massacre) entre o eu saudável e o eu doente, assim como do eu artista e a doença social que te obriga a produzir mais que sentir, criar sem identificar-se, mecanizar-se e desaparecer como particularidade. A You Broke My Glass of Sadness, que é uma das poucas músicas românticas que já escrevi, bem como um alivio, um sagrado gole no vinho do amor e do prazer, que te embriaga e te refina, e te liberta das agonias da tristeza mais profundas. Duas bem explícitas sobre esta relação com a síndrome do pânico, que são a Silence Dome e Dethroned From My Head, entre outras, como Cocaine Rabbit, Tombstone Dream, When I Get Home, Last Coffee Blues, e a própria New/Old Dirty Road, que dá titulo ao álbum.
Este, embora seja um disco bem simples, ele é extremamente denso e pesado e uma viagem interna buscando exorcizar meus demônios. Viagem está que hoje compartilho convosco, e desejo que dela tirem algum proveito.
- Jedias Hertz"